Você já se deu conta da importância absurda (e até desproporcional) de títulos eficientes e impactantes? O título é a primeira impressão do leitor em potencial com o seu conteúdo. Através dele, ele irá decidir se vale ou não a pena clicar e continuar lendo seu conteúdo.

Sim, as pessoas irão julgar seu livro pela capa, acostume-se.

Não basta um conteúdo rico e capaz de reter o leitor, se o mesmo não gera atração inicial. Por isso, de nada adianta desprender um esforço enorme para produzir conteúdo rico em informações e de excelente qualidade, com alto potencial de reter o leitor, se a única forma deste usuário se interessar em ler seu conteúdo é se você o obrigar.

Se estiver produzindo conteúdo de alta qualidade mas encarando baixas taxas de abertura em suas campanhas de email, postagem em redes sociais ou visitas no blog, esse post é para você!

Porque dar atenção para o título?

Porque seus e-mails precisam ser abertos. E seus posts no Facebook precisam ser clicados. E seu blog precisa gerar retenção, e não bounces. E porque não basta aparecer na primeira página do Google, se ninguém clica em você. E porque as pessoas precisam entrar no seu funil de marketing, atravessá-lo e saírem do outro lado.

E tudo isso depende diretamente da eficiência e impacto dos seus títulos. Fui persuasivo o suficiente?

Em outras palavras, se ninguém se interessa o suficiente pelos seus títulos para clicar em seus artigos, de nada adiantou todo o esforço colossal que você fez para criar um artigo rico e memorável.

O título será como a capa do seu livro: a primeira conexão com os leitores.

E se você falhar, o barco afunda.

Títulos eficientes e impactantes com 7 métodos simples

Não sei se você gosta de carros tanto quanto eu, mas mesmo que seu sonho de consumo não seja um Mustang 1969 V8, a palavra “motor de 4 tempos” não deve soar estranha para você. Assim como o motor que movimenta o seu carro, o título que movimenta o seu artigo também possui 4 tempos, e em cada um deles, uma tarefa específica.

Calma, eu prometo que vai ser fácil, ok?

Tão fácil quanto o Van Damme fazendo espacate 🙂

Não, sério, fácil mesmo. Isso porque eu vou te apresentar uma técnica muito utilizada por redatores, que chamamos de AIDA: Atenção, Interesse, Desejo, Ação. Esses são os 4 pontos que seu título deve alcançar para tirar seu usuário do ponto-morto e leva-lo do 0 ao 100. Vamos explicar como estruturar esses 4 pilares, através de 7 métodos simples, a seguir:

1º: Foque na palavra-chave e no conteúdo

Neste ponto você já deve estar familiarizado com a importância da palavra-chave para sua estratégia digital. Marketing Digital em si tem tudo a ver com suas palavras-chave, independente se estamos falando de uma campanha orgânica (SEO, Social Media) ou impulsionada (Google Ads, FaceAds, etc).

Mas não é apenas para sua estratégia de marketing digital que a palavra-chave é importante. Ter uma palavra-chave bem definida te permite redigir conteúdo com foco e objetividade, e diminui as chances de você acabar com um conteúdo confuso, sem objetivo e pouco atraente. E com um conteúdo focado e bem desenvolvido, fica muito mais fácil pensar em um título eficiente e impactante, igualmente claro e objetivo.

Se interessou pelo assunto? Dá uma olhadinha no Bônus #3

Quanto ao conteúdo, para todos que já ouviram o mantra “The Content is King”… simplesmente continuem com essa ideia na cabeça. Foque no objetivo e na qualidade do conteúdo, e jamais se esqueça do seu cliente: é para ele que o conteúdo está sendo redigido.

Pense nas dores (problemas e necessidades) do seu público-alvo, trace a Buyer’s Journey dele e identifique as zonas de contato e os momentos-chave a qual seu conteúdo será destinado. Falaremos mais sobre a Jornada do Comprador (ou Buyer’s Journey) e as peculiaridades de cada uma de suas fases, em algum outro post. Mas por enquanto, se surgir a dúvida, recomendamos este artigo da HubSpot sobre o tema (em inglês).

2º: Simplicidade e Impacto: os 4Us

Se você já conhece o pessoal aqui da agência, sabe que dizemos que “simples e memorável são o nosso norte”. Acreditamos que faz todo sentido que uma boa solução deva ser simples e memorável (portanto, impactante). Afinal, como disse Einstein: “Everything should be made as simple as possible, but not simpler”.

Por isso, é comum utilizar a chamada “técnica dos 4Us” para, entre outras coisas, pensar em títulos eficientes e impactantes.

  1. Ser ÚTIL ao leitor
  2. Passar senso de URGÊNCIA
  3. Transmitir a ideia de algo ÚNICO
  4. Ser ULTRA ESPECÍFICO

Essa curta lista serve para te ajudar a lembrar dos itens que apontaremos a seguir, que são um conjunto estrutural de características que todos títulos eficientes e impactantes deverão apresentar.

3º: Seja Claro, Útil e Objetivo

O objetivo de qualquer conteúdo digital é fazer com que seu público interaja com ele. Títulos confusos podem até despertar a curiosidade do observador, mas talvez não de uma maneira positiva (que o faça clicar). Sendo assim, planeje seu conteúdo pensando em ser útil e oferecer aquilo que seu público precisa, e apresente tudo isto de maneira clara (objetivo).

Estudos mostram que títulos menores são os mais eficientes

Lembre-se também que o “attention span” (o período de tempo durante o qual uma pessoa é capaz de se concentrar mentalmente em uma determinada atividade) das pessoas costuma ser bem curto, principalmente ao utilizar aparelhos mobile. Por isso, seja breve e objetivo: O MailChimp (software de gestão de e-mail marketing) fez um estudo com mais de 200 milhões de e-mails enviados, e perceberam que os títulos que contêm entre 28 e 39 caracteres têm um índice muito maior de abertura do que os demais.

Escrever é a arte de cortar palavras.

A frase de Carlos Drummond de Andrade resume bem o estudo realizado.

Certifique-se de que seu título seja facilmente compreendido, que expresse exatamente o que o possível leitor irá encontrar se clicar nele (ultra específico), e como o usuário irá se beneficiar daquele conteúdo.

4º: Gere senso de urgência

Não estou falando de escrever em caps lock. O senso de urgência é o fator responsável por despertar a necessidade de realizar a ação desejada. Você realmente quer que seu conteúdo seja lido e clicado, não quer?

Esse senso de urgência pode ser criado a partir de palavras específicas como “hoje”, “agora”, “ultimas vagas”, “imediatamente”, “ainda hoje”, etc. Não precisa abusar nem “gritar” com o seu usuário: nada de caixa alta, ok? Deixe essa “estratégia” no passado, que é onde ela deve ficar. Aliás, se quiser saber porque essa é uma má ideia, dê uma lida nesse nosso outro post sobre Marketing Digital e suas vantagens sobre o marketing tradicional.

Cuidado com o super sensacionalismo, ok?

Tome cuidado com abusos, para não transformar seu título eficiente e impactante em uma manchete de jornal super sensacionalista, ok? E não deixe de conferir nossa lista de “palavras mágicas” mais adiante, neste mesmo artigo.

5º: Desperte a curiosidade e gere impacto. Mas seja sincero!

Seu título deve funcionar de pelo menos uma de duas maneiras:

  • Gerando Impacto
  • Despertando a Curiosidade

Assim, ou seu usuário irá se sentir compelido a clicar no seu artigo para matar sua curiosidade, ou através do choque causado por uma afirmação arrasadora ou polêmica.

Para isso, palavras de impacto, promessas e questionamentos são bons recursos. Claro, desde que tais promessas sejam cumpridas. Ninguém gosta de ser enganado ou confundido pelos detalhes (esqueça da “era das letras miúdas no rodapé”).

Ninguém gosta de ser enganado ou confundido pelos detalhes (esqueça da “era das letras miúdas no rodapé”).

Imagine que você seja um fã de leitura e tenha optado por participar da newsletters de sua livraria favorita. Agora imagine que você receba dois emails na sua caixa de entrada, com os títulos listados a seguir:

  • Livraria em desconto
  • Hum…cheirinho de livros novos é tudo de bom!

O primeiro: padronizado, engessado, frio, padrão… praticamente morto. Uma “tática” que infelizmente ainda é empregada por alguns gestores que acham que esta é a única maneira de passar uma imagem sólida, grandiosa e imponente.

Já o segundo… muito mais empático, quente, longe de clichês. Aguça a curiosidade, estabelece uma relação, se comunica com a mesma linguagem do usuário (e não como um robô ou como o advogado do diabo), utiliza o marketing sensorial como instrumento de aproximação.

Muito melhor, não acha?

Lembre-se, você não precisa se comunicar como se estivesse redigindo a constituição da república para impressionar clientes. Muito pelo contrário. O que cada vez mais companhias (incluindo as colossais) estão percebendo, é que seus clientes são seres humanos.

Verdade, juro. E que por serem seres humanos, apreciam os relacionamentos, a comunicação, sentir-se bem-vindos e tratados com carinho e calor. A experiência do usuário importa. Lembre-se disso hoje, e me agradeça amanhã, ok?

A experiência do usuário importa. E seus títulos devem demonstrar isso.

Quanto a gerar impacto, cuide apenas para não fazer como a Amazon e pisar na bola. Ter bom senso com temas polêmicos é importante, além de muito tato e empatia por aqueles que não compartilham da sua opinião (mas ainda assim possam ser seus clientes. Ou deixarem de ser, caso você vacile).

6º: Não seja frio, seja amigo

Formalidade demais pode entediar o leitor e afastá-lo. Estudos (novamente do MailChimp) corroboram uma suposição já levada como lei por muitos profissionais de marketing: quanto maior a intimidade com seu leitor, quanto maior a sensação de conexão, relacionamento estreito e humanidade, maiores os retornos. Talvez a linguagem da constituição brasileira ou ainda do artigo de doutorado não sejam a melhor opção para a internet, que costuma ser um ambiente um pouco mais livre e informal, principalmente se você estiver mirando em títulos eficientes e não apenas em…títulos.

Seu cliente ou leitor não quer sentir a sua frieza. Ele quer se sentir bem-vindo.

Tente se posicionar como se estivesse em uma conversa natural com um amigo ou colega. Não digo para usar palavrões, gírias e nem nada do gênero… apenas estou afirmando que você não precisa mais se comunicar como se estivesse diante dos senadores da república (a menos, é claro, que seja esse mesmo o seu público, já que tudo depende do tom de voz adequado para o seu público-alvo, algo que deve ser planejado e até mesmo documentado em um manual de marca eficiente).

Em outras palavras…

Não seja:

  • Frio: Demonstre sentimentos, demonstre se importar com seu cliente, com suas dúvidas, problemas e dores. Seja humano!
  • Burocrata e calculista: Vamos deixar uma coisa clara. Ninguém gosta de conversar com o advogado do diabo. Então não escreva como se “tudo que você disser poderá ser usado contra você nos tribunais”. Uma pergunta no Facebook, as vezes é simplesmente uma pergunta no Facebook. Entende o que eu digo?
  • Engessado: Respostas pré layoutadas, direto do banco de dados? Nem se você estiver abrindo um call-center! Seres humanos gostam de conversar com seres humanos, não com paredes.

Seja:

  • Quente: Se você é humano, demonstre! Seja empático, construa uma relação com seus clientes, se importe.
  • Humano (com sentimentos e tals): Solucione os problemas de seus clientes como um amigo que realmente se importa. Não precisa “proteger seu lado” com respostas pré-layoutadas montadas pelo time de advogados da sua empresa, ao sinal do primeiro micro probleminha que um cliente tiver. Seu cliente não é seu inimigo. Jamais o trate como tal, principalmente quando a culpa for sua.
  • Sexy: Cative seu cliente, gere descontração, simpatia e apreciação. Impressione-o com uma comunicação simpática e amigável, solucione seu problema e mesmo que seu cliente esteja tendo uma experiência decepcionante com seus produtos, continuará sendo um cliente da sua marca (e isso tudo ainda agirá em seu favor. Todo mundo gosta de alguém atencioso e considerativo resolvendo seus problemas).

Não falar com o seu cliente como se estivesse falando com o advogado do seu cliente, é um bom começo.

7º: Gere sentimento de exclusividade, para você e para o leitor

Todo mundo gosta de se sentir único, exclusivo, especial. Eu gosto, você gosta, seu cliente gosta. Essas características são apreciadas não apenas quando nos auto avaliamos, mas quando olhamos e as identificamos no próximo (e isso inclui a sua marca).

Ninguém gosta de empresas arroz-com-feijão, que fazem mais do mesmo. Os mesmos produtos, a mesma comunicação, os mesmos preços, o mesmo atendimento… o mesmo tudo. Todos gostamos de diferenciais, de exclusividade.

  • Utilize bônus e brindes
  • Ofereça contar segredos de mercado
  • Forneça conteúdo exclusivo para assinantes da sua lista de emails
  • Envie novos estudos e dados, em primeira mão
  • Crie um sentimento de V.I.P.
  • Utilize as palavras certas (conforme você vai descobrir a seguir)

Influencie seu leitor com Gatilhos Psicológicos

Calma, não estamos falando de lavagem cerebral nem de mensagens subliminares que te fazem comprar mais pipoca no cinema. Mas se você é um apreciador da Psicologia, em qualquer instância, com certeza já se deparou com algumas boas estratégias de persuasão e influência por aí, certo? Talvez já tenha até utilizado uma ou duas em seus próprios produtos ou campanhas. E como já era de se imaginar, títulos eficientes em geral utilizam um ou outro segredo psicológico para impactar seus leitores e gerar resultados de verdade.

Sabemos que a persuasão é uma ciência, e não uma arte. Existem vários livros para corroborar este ponto e até lhe ensinar um ou outro truque sobre como dirigir a ação das pessoas ao seu ponto de interesse (como o livro Influence: The Psichology of Persuasion, por exemplo). Por isso, vamos apontar alguns truques de persuasão bem úteis para aplicar nos seus títulos (comprovados):

Todo mundo ama listas e números

Títulos que incluem listas ou números impressionam pela sua impactante eficiência. Pode parecer bobo, mas é verdade.

Tudo na internet é extremamente rápido, prático e objetivo. Números são concretos e transmitem a ideia de grande benefício ao leitor. Listas, por sua vez, indicam implicitamente um conteúdo fácil de ser digerido, quebrado em tópicos, algo que (e é fácil de entender porque) atrai muito os usuários de Internet.

Listas passam o senso de que o conteúdo é direto e claro, de fácil leitura e de que seja lá o que está sendo ensinado é igualmente fácil de ser implementado. Valoriza o conteúdo, bem como o tempo do seu leitor, e ainda expressa, mesmo que implicitamente, que o conteúdo é útil e objetivo, características cujo importância já desdobramos neste artigo.

Números, estatísticas e porcentagens, por sua vez, passam a impressão de que o conteúdo possui dados sólidos e comprovados, baseado em estudos e, portanto, sólido e incontestável. Essa sensação de que algo é concreto e certeiro, certamente valoriza o conteúdo e incita a curiosidade do leitor (em saber algo que você sabe, mas ele ainda não).

Ex:

  • 5 dicas para manter as contas em dia na sua empresa
  • Os 5 erros mais comuns de empresas iniciantes no Facebook
  • 3 motivos pelo qual sua campanha de e-mails não dá resultado

Ah, ainda sobre números, sempre que você listar características ou benefícios, tente fazer isso através de 3 elementos, e não apenas 2. Ok? Desta forma, seu título fica mais harmônico, persuasivo e sonoro.

Ex:

  • Saiba como ganhar, guardar e investir dinheiro com [tema]

Perguntas impactantes e respostas abertas

Pergunta no título realmente funciona?

Seu artigo deve ter sido escrito afim de apresentar um problema ou uma solução, e portanto, muito provavelmente, pode ser facilmente apresentado através da pergunta certa: a que irá não apenas falar do que seu conteúdo se trata, como também irá instigar a curiosidade do leitor.

Após ganhar a atenção e a curiosidade do leitor com seu título, a única maneira de responder aquela dúvida que você gerou na mente do seu leitor é…se ele clicar e ler o seu artigo. E acredite quando eu digo que ninguém gosta de dúvidas.

Eu… PRECISO saber.

Na verdade, o cérebro humano é predisposto a se esforçar para responder perguntas em aberto. Fechar pontas soltas, mesmo. Portanto, se você conseguir, com sucesso, fazer a pergunta certa para instigar a curiosidade do seu leitor, com certeza você o ganhou.

Ex:

  • Como criar um título irresistível para seus e-mails?
  • Porque meus e-mails não são abertos nem clicados?
  • Pergunta no título realmente funciona?
  • Você sabe porque o site da sua empresa não vende?

Provocante, Polêmico ou Controverso

Tudo que é polêmico chama atenção. Discordar de um “fato consolidado e irrefutável” ou de um expert em determinado assunto, são apenas algumas formas de se fazer isso. Provocar o próprio leitor também funciona, como por exemplo:

  • 3 erros que você comete na sua estratégia de Marketing Digital
  • Você é o motivo pelo qual sua empresa está no vermelho
  • “Storytelling” pode não ser tudo aquilo que contaram para você!
  • Seus funcionários te odeiam, e a culpa é sua

Claro, este tipo de título demanda, obrigatoriamente, um conteúdo sólido e muito bem sustentado e argumentado. Deve-se tomar cuidado para que a empresa não acabe sendo vista como antipática ou pretensiosa por algumas pessoas.

Como regra geral, não cutuque assuntos que realmente não precisam ser cutucados, como religião, visão política, etc. Mas se for realmente necessário, lembre-se do bom senso, empatia e tato! Nem todos seus clientes pensam exatamente da mesma forma.

Palavras Mágicas – Bônus #1

Existem algumas palavras “especiais” que, quando colocadas em um título comum, o tornam excepcional. Essas palavras são capazes de gerar destaque, impacto, curiosidade, desejo, expectativa… enfim, qualquer sentimento que faça seu leitor perceber seu conteúdo como irresistível, e clicar.

Para ajudar você a criar títulos eficientes e impactantes para sua empresa, resolvemos listar algumas das melhores palavras que pudemos encontrar. São elas:

Simples, fácil, rápido, perfeito, incrível, completo, absoluto, definitivo, essencial, garantido, matador, últimas horas/vagas/unidades/chance, sensacional, como, melhor, desafio, conselho, dica, guia, bônus, segredo, descoberta, incomum, desconhecido, verdade, resultados, grátis, dinheiro, desconto, economizar, ainda hoje, você, ainda, revolucionário, importante, incomparável, indispensável, lançado

Olhando para elas, você consegue perceber o como elas se espalham através dos 4 Us (Utilidade, Urgência, Único, Ultra-Específico)? Com essas palavras (e outras que com certeza você conseguirá pensar), seu título se torna capaz de chamar a atenção do usuário, expressar um benefício irrecusável com senso de urgência, e persuadi-lo a tomar alguma ação.

Ao usar a palavra “você”, seu título passa pessoalidade e a impressão de um relacionamento mais próximo, estreito. As chances dos leitores abrirem seus e-mails são maiores quando eles percebem que sua mensagem, seja qual for, foi feita à mão, artesanalmente, para eles (e não se trata apenas de um disparo automatizado e impessoal, qualquer).

Palavras como “simples, fácil, rápido” passam a ideia de que algo será explicado de maneira objetiva e prática, o que aumenta o interesse de quem lê. Outras, como “segredo, conselho, incomum, desconhecido”, fazem com que o leitor se sinta “de fora” de algo, e acentua seu sentimento de desconhecimento sobre algo que “poucas pessoas sabem”, e, portanto, aumenta sua curiosidade. Lembram da necessidade de se sentir exclusivo, especial? Pois é.

Com um ou mais desses “anzóis”, somado de outras estratégias apresentadas nesse artigo, seu título com certeza se destacará aos olhos de seus leitores, resultando em um acréscimo notável nos seus resultados.

A ciência da persuasão

Influência e persuasão são temas estudados desde a Grécia Antiga, tendo a Retórica de Aristóteles como referência máxima. O tema ainda hoje continua fascinando investigadores da área das ciências sociais, principalmente na área da psicologia social. Como estamos falando de títulos como sendo a porta de entrada para seu conteúdo, é evidente que ele precisa ser persuasivo o suficiente para ganhar a atenção e o interesse do seu leitor.

Influence - The Psychology of Persuasion

Antes neste artigo eu comentei sobre o livro “Influence: The Psychology of Persuasion”. Este livro foi escrito pelo psicólogo social Robert Cialdini, professor da Universidade Estatal do Arizona, e presidente da empresa Influence at Work. Cialdini tem sido um dos investigadores mais envolvidos com as dinâmicas da persuasão e da influência social sendo um dos nomes mais respeitados a nível acadêmico nesta campo. Você já sabe porque isso tudo tem a ver com seus títulos, certo?

Em seu livro, ele lista e define 6 princípios base que estão por trás de qualquer tentativa de persuasão, princípios esses que eu, com prazer, compartilho com você abaixo:

  1. Reciprocidade – este princípio define que as pessoas estão mais dispostas a concordar com algum pedido quando algo lhes foi “dado” em primeiro lugar; (Hm… lembra das “iscas digitais”, de Marketing Digital? Faz sentido, não faz?)
  2. Consistência – as pessoas sentem-se mais dispostas a atuar de uma certa forma se encararem isso como sendo consistente com o seu comportamento prévio;
  3. Autoridade – de acordo com este princípio, a autoridade ou perícia percebida do comunicador é um fator importante para que as pessoas se sintam dispostas a concordar ou fazer algo; (Já ouviu falar da importância de possuir presença e autoridade digital?)
  4. Validação Social – quanto mais “popular” for percebido ser um comportamento, maior será a tendência para que alguém se comporte dessa forma; (Já percebeu a quantidade de empresas que incluem depoimentos de seus clientes em seus sites?)
  5. Escassez – a atratividade de um dado objeto/serviço/situação é inversamente proporcional à sua disponibilidade; (Lembra das palavras mágicas apresentadas neste artigo? Tais como “últimas vagas, últimos dias, etc”? Aliás, será que isso te lembra de alguma lei da economia, por acaso?)
  6. Atracção – as pessoas estão mais dispostas a ajudar ou concordar com aqueles de quem gostam, têm uma relação de amizade, por quem se sentem atraídos ou consideram ser similares a si. (Novamente a questão da autoridade, do relacionamento estreito e tudo mais).

Uau. Percebeu como os princípios acima se relacionam com dezenas de outros conceitos em marketing, negócios e afins? É fácil bater o olho na lista acima e reconhecer a importância de todos os itens, e melhor ainda saber que existe uma série de estudos nesse campo, certo? Inclusive, voltaremos a escrever sobre esse tema em breve, aqui no blog.

Templates de títulos eficientes para você usar – Bônus #2

Baseado em tudo que foi discutido neste artigo, separamos alguns templates para você avaliar e utilizar no dia-a-dia. Veja:

“Como …” – Claras e Objetivas

  • Como Fazer […]
  • Como Ser [Qualidade Desejável]
  • Como Conseguir [Resultados] [Rapidamente/Fácil/Prático][Sem Riscos/Garantido]
  • Como Fazer Para […] (Mesmo Que [Obstáculo Comum])
  • Como Fazer […] Sem [Precisar de Algo/Causar um Problema]

Listas – Fáceis de digerir, favorita de todos

  • 5 Maneiras Para Você [Fazer Algo]
  • 10 […] para [Evento/Causa/Processo]
  • 25 Recursos Incríveis Para [Audiência/Processo]
  • As 10 Melhores […]
  • 7 Segredos Sobre/Dos […] Que Todos [Seus Clientes] Deveriam Saber

Erros – Todos cometem

  • Você Também Comete Estes 5 Erros Quando/Na Hora de […]?
  • 10 Erros Bobos Que Você Faz em […] que Fazem Você Parecer um Idiota
  • 5 Erros no Seu […] Que Fazem Você [Parecer/Falar] Como um […]
  • […]: 11 Erros que Você Não Sabe que Você Está Cometendo
  • Não Cometa Estes 12 Erros Quando Você […]

O que [nome de influência] pode nos ensinar sobre [assunto]

  • O que Mark Zuckerberg pode nos ensinar sobre o Empreendedorismo
  • O que o caso Burgerking pode nos ensinar sobre Marketing no Facebook.
  • O que o iFood pode nos ensinar sobre Marketing Digital.
  • [Faça Algo] Como [Pessoa Famosa]: 20 Maneiras Para […]
  • As 10 Melhores Dicas do/da [Pessoa Famosa] Para […]
  • O/A [Referência Mundial] Escola de […]
  • O/A [Referência Mundial] Guia para […]
  • Os Segredos dos [Grupo Famoso]

[número] Fatores Pouco Conhecidos que Podem Afetar Seu [assunto]

  • 5 Fatores Pouco Conhecidos que Podem Afetar Seu Posicionamento no Google.
  • 7 Fatores Pouco Conhecidos que Podem Afetar a Conversão de Suas Landing Pages.
  • 10 Fatores Pouco Conhecidos que Podem Afetar Suas Vendas.

[número] Sinais de que [assunto]

  • 5 sinais de que o seu site está fadado ao fracasso.
  • 3 sinais de que sua estratégia de marketing digital está errada.
  • 7 sinais de que suas landing pages não convertem clique em clientes.

Ameaças – O que impede o sucesso de seus clientes?

  • O Quão Seguro É O Seu [Pessoa/Objeto Valioso] Contra [Potencial Ameaça]?
  • 7 Sinais de Aviso Que […]
  • Aviso: […]
  • Como [Eliminar um Problema/Dor Específico] Sem [Outros Problemas/Consequências]
  • Por Que [Alguma “Verdade” Popular] Não Funciona … E o Que Fazer a Respeito

Embora nenhum template do mundo irá superar o conhecimento sobre as peculiaridades do seu mercado ou nicho, somado do entendimento sobre seu público-alvo, as frases acima são estruturadas em cima de alguma das principais técnicas utilizadas quando falamos de títulos eficientes e impactantes. Isso inclui diferentes recursos dentre as técnicas, métodos e gatilhos psicológicos apontados neste artigo. Com eles, você deve ser capaz de abandonar seus títulos ineficientes e sem sal, e começar a sua nova estratégia de títulos, focado nos 4 pilares ensinados: Atenção, Interesse, Desejo, Ação.

Mãos à obra! 

Dicas Matadoras – Bônus #3

Para finalizar e melhor ainda mais as suas recém descobertas habilidades em redação de títulos eficientes e impactantes, resolvi separar algumas dicas bastante úteis para você. Vamos lá:

Misture as diferentes técnicas

Não tenha medo de arriscar. Em muitos casos é possível utilizar duas ou mais técnicas ao mesmo tempo. Seja provocador com perguntas e respostas abertas, utilize listas para corroborar impacto ou desmentir polêmicas, etc.

Seja criativo.

Avalie a sua palavra-chave

Antes de pensar em seu título (e, se possível, antes mesmo de redigir seu conteúdo), sempre avalie a qualidade de sua palavra-chave em alguma ferramenta.

Através do Google Keyword Planner, por exemplo, você consegue avaliar sua palavra-chave e saber a quantidade estimada de pesquisas por tal palavra-chave, por mês. E também fica sabendo o grau de concorrência para tal palavra-chave, o que pode dificultar seu rankeamento orgânico ou encarecer seus investimentos em SEM (Google Ads).

Avalie suas palavras-chave com Google Keyword Planner

Qual palavra-chave lhe dará mais resultados, “carro” ou “automóvel”? “Títulos Eficientes” ou “Impactantes”? “Pousada” ou “Guest House”? Utilize o Google Keyword Planner e descubra, na hora, exatamente quantas pesquisas mensais cada uma delas recebe, e sem pagar um centavo!

Outra ferramenta do Google indispensável é a Google Trends, capaz de comparar tópicos e o nível de interesse das pessoas (descobrir tendências). Você pode ainda “afunilar” sua pesquisa por país, região e data, comparando não apenas um tema com outro mas também como esses tópicos geram interesse em diferentes países ou anos.

Escreva ao menos duas opções de títulos (e teste)

Algumas ferramentas de email marketing, por exemplo, te permitem modificar pequenos traços de uma campanha e testar qual das variações são mais eficientes. São os chamados testes A/B.

Você pode, por exemplo, testar um título A contra um título B, disparando uma versão para 10% da sua lista, e a outra versão para outros 10%. Assim que a plataforma reunir informações suficientes para lhe indicar qual das duas versões foi mais eficiente, você pode enviar a versão ganhadora para os 80% restantes. Bacana, né?

A/B Testing – MailChimp (plataforma de email marketing)

Talvez você descubra que para o seu público-alvo específico, alguma técnica “nem tão valorizada assim” se sobressai, ou que alguma “estratégia que todo mundo usa” não gera tanto retorno assim…

A técnica S.H.I.N.E.

Como já descrevemos a técnica A.I.D.A. no artigo, resolvi deixar esta para os bônus, para não confundir. SHINE é um outro bom acrônico para te ajudar a escrever títulos eficientes e impactantes, e significa:

  • Specifity (Especificidade) – Relacionado ao problema que será resolvido ao ler um artigo
  • Helpfulness (Utilidade) – Aqui, o foco é a solução que o artigo trará ao usuário
  • Imediatismo – É o senso de emergência despertado por um título
  • Novidade – Trata-se do ineditismo apresentado em um título
  • Entretenimento – É o fator que faz com que o leitor sinta que aquele artigo lhe trará boas experiências (listas divertidas, momentos de rotina, dicas para relacionar-se melhor, etc.)

Este último item da lista, ausente na técnica AIDA, é importante pois lhe faz lembrar que você está escrevendo (seja lá o que for) para seres humanos. Seres humanos precisam ser cativados, impressionados, entretidos…caso contrário, se sentem entediados, descontentes, pouco impressionados, e desistem da leitura.

Quando você pensa neste item, você entende melhor porque é do seu melhor interesse redigir artigos fáceis de serem digeridos, com boa hierarquia visual e de linguagem fácil e amigável (e não como se você estivesse redigindo um artigo para sua banca de doutorado).

Conheça a sua audiência

Você possui um blog sobre auditorias fiscais? Ótimo. Mas isso por si só não lhe diz exatamente quem é o seu público.

Seu leitor pode ser um auditor fiscal, procurando encontrar novidades específicas e detalhes minuciosos. Pode ser um professor de universidade buscando conteúdo histórico, princípios e fundamentos para sustentar suas aulas. Ou até mesmo o aluno deste professor, jovem, sem paciência para conteúdos densos, de linguagem técnica e difícil de ser compreendida, impossível de ser digerida. Pode ser ainda um empreendedor, buscando manter-se atualizado sobre suas obrigações fiscais, porém sem nenhum conhecimento específico da área, o que lhe impossibilitaria de reconhecer jargões, termos técnicos e siglas específicas, por exemplo. Ou mais de um deles, ou todos eles, ou nenhum deles. Who knows?

Compreendeu como cada caso exige uma maneira diferente de apresentar o conteúdo? Para te ajudar a conhecer sua audiência, vale realizar entrevistas com clientes ou leitores atuais, captar informações gerais através de formulários online (como Google Forms ou SurveyMonkey, por exemplo), traçar suas personas (tópico muito importante em uma estratégia de Marketing Digital, diga-se de passagem), realizar benchmarking de concorrentes, etc.

Pesquisa de mercado (Survey) através do Google Forms

Critique seus próprios títulos

Se você é do tipo que não consegue ouvir uma crítica construtiva sem ficar vermelho e sentir seu sangue borbulhando, pode ficar calmo: dessa vez é você quem irá avalia-lo. E assim que tiver feito, eu garanto para você que ninguém conseguirá colocar defeito. Ok?

Depois de todo trabalho feito, faça um teste final¸ com as seguintes perguntas:

  • Fora de contexto, o título é bom e compreensível?
  • Alguém que não conhece sua empresa ou os assuntos que escreve, se identificaria (e compreenderia) o tema do artigo?
  • Quão atrativa é a promessa feita? Parece realmente solucionar um problema (ou beneficiar de alguma maneira) o seu público?
  • Seu título conseguiria se beneficiar de uma lista ou das palavras mágicas que leu nesse post?
  • O título é coerente com o conteúdo encontrado no post? As promessas realizadas são cumpridas, de fato?
  • Seu título utiliza palavras-chave relevantes para a estratégia de SEO da sua empresa?

Concluindo...

Mais do que conteúdo de primeira e um ótimo conhecimento sobre sua audiência, você precisa de títulos eficientes e impactantes para que sua campanha de marketing digital tenha sucesso.

Independente se estamos falando de um panorama completo de Inbound Marketing, ou apenas de uma campanha isolada de email marketing, artigos no seu blog ou posts no Facebook, é a partir do título que seu usuário irá julgar o seu conteúdo e, talvez, clicar para ler mais.

Lembre-se do acrônimo AIDA ensinado neste artigo quando estiver planejando seus títulos, e não se esqueça dos tópicos ensinados:

  • Foque na palavra-chave e no conteúdo
  • Simplicidade e Impacto (os 4us)
  • Seja claro, útil e objetivo
  • Gere senso de urgência
  • Desperte a curiosidade e gere impacto
  • Não seja frio, seja amigo
  • Gere sentimento de exclusividade

Não se esqueça dos gatilhos psicológicos e das dicas extras que ensinamos nesse artigo. Eu sei que pode parecer muito, mas estamos falando de títulos eficientes e impactantes, e não de qualquer títulozinho, não é?

Referências

Técnicas, Dicas e Persuasão: dissonanciacognitivahardstand, google keyword planner, mailchimp
Imagem de capa: pexels

Se você acha que títulos eficientes não resumem tudo que sua empresa precisa no momento, talvez seja hora de marcarmos um café sem compromisso 😉